Forma-se e pede um pedaço de terra de presente: 'especiarias e plantas aromáticas são o meu futuro'

Quem sou
Elia Tabuenca García
@eliatabuencagarcia

Ele está prestes a acabar atropelado, sua mãe o salva

Roberto Carbone por ocasião de sua formatura pediu aos pais um presente muito especial: um pedaço de terra para cultivar para construir seu próprio futuro.





Catania, 24 anos, completou o curso de três anos em Ciência e Tecnologia de Alimentos e sonha em se tornar um empresário agrícola. Por isso, em vez de outros presentes caros por ocasião da formatura, preferiu ter terras que pudessem usar para começar a trabalhar imediatamente e que seus pais compraram prontamente em Trecastagni.

O jovem iniciou o cultivo de plantas aromáticas e especiarias seguindo a paixão pela terra de seu avô que tinha um terreno em Nicolosi e cultivava vinhas para fazer vinho. Jovem consciencioso, Roberto sabia que dedicar-se à produção de vinho era demais para ele:

"Fazer vinho teria sido demasiado exigente do ponto de vista económico - e assim, mantendo os pés no chão, decidi cultivar e transformar plantas aromáticas mediterrânicas"

Assim nasceu seu Empresa “Sari” localizada dentro do Parque Etna a uma altura entre 650 e 700 metros. Aqui no mês de maio as plantas aromáticas são processadas e embaladas em um pequeno laboratório. Tudo é feito à mão, principalmente pela mãe de Roberto, Marisa, que ajuda na fazenda sempre que não precisa dar aulas de latim e grego.

Na terra de Roberto é possível encontrar alecrim, orégano, malagueta, alfazema, helichrysum e açafrão, estes transformados em aromas para a cozinha mas também utilizados para fazer compotas e marmeladas especiais como a da "maçã cola", variedade típica do Etna que é combinada com alecrim. Mas também há as de peras de coxa e flores de lavanda e pimentas e pimentas.

Marisa se orgulha muito da escolha corajosa e fora de moda do filho:


“A escolha dele é que nós apreciamos particularmente, não só porque acreditamos que ele tem capacidade empreendedora, mas porque o amor pela natureza, o cuidado, o estudo, a dedicação a uma terra a ser protegida são todos objetivos que os jovens antes e melhores que nós, eles se colocam na frente. Serão eles que pagarão por uma política que dilacerou e continua a dilacerar o território, um recurso que não é infinito. Galera que também faz a escolha de ficar aqui para investir na área, para mim são heróis”.


Roberto sonha alto e seu objetivo agora é dar a conhecer seus produtos no exterior onde, o jovem está convencido, serão ainda mais apreciados. Poderá assim tornar-se economicamente estável e constituir no local onde nasceu uma família que ama e protege a ponto de querer devolver amigos expatriados noutro local para aí residirem permanentemente:

“Há um cara que estou tentando trazer de volta para Catania, ele trabalha na FAO e fala quatro idiomas. Eu quero trazê-lo aqui para deixá-lo desfrutar do silêncio deste lugar. Algumas manhãs só se ouve o zumbido das abelhas, um som que não tem preço"

Esperamos que Roberto consiga envolver outros jovens e fazê-los refletir sobre o fato de que apostar em si mesmo e em sua terra pode dar frutos.



Foto de Carmen Greco 

Veja também:

  • A escola camponesa gratuita de Mondeggi, onde você pode aprender a cuidar da terra gratuitamente
  • Escola da Terra: veja como se tornar o agricultor de amanhã
  • Abandone tudo, nova vida no campo: 5 histórias de sucesso
Adicione um comentário do Forma-se e pede um pedaço de terra de presente: 'especiarias e plantas aromáticas são o meu futuro'
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.