Alimentos fritos fazem mal ao coração? Não, se você usar azeite ou óleo de girassol

Quem sou
Elia Tabuenca García
@eliatabuencagarcia

Frito ou não frito, eis a questão. A dúvida hamlética surge cada vez que nos encontramos tendo que lidar com um dos métodos de cozimento mais saborosos, saborosos e irresistíveis, na crença de que o desejo de satisfazer os paladares pode nos levar a ter que lidar com a saúde. No turbilhão de pesquisas que, por sua vez, condenam ou salvam a fritura, surge uma pesquisa espanhola, publicada no British Medical Journal, que esclarece alguns pontos obscuros.



Não guarde o abacate assim: é perigoso

Frito ou não frito, essa é a questão. A dúvida hamlética surge cada vez que nos encontramos diante de um dos métodos de cocção mais saborosos, saborosos e irresistíveis, na crença de que o desejo de satisfazer os paladares pode nos levar a ter que lidar com o saúde. No turbilhão de buscas que, por sua vez, condenam ou salvam o fritura, aqui vem uma pesquisa espanhola, publicada no British Medical Journal, a dele esclarece alguns pontos obscuros.



E isso parece cair "como um feijão" com o carnaval e seu desfile de sobremesas estritamente fritas na porta. Mentiras, trapos, fofocas, cioffe e frappe, chame-os como quiser, segundo o estudo espanhol, não faria mal. Mas somente se frito em azeite ou óleo de girassol, os únicos capazes de evitar o risco de doença cardíaca, pressão alta e colesterol alto, todos ligados à ingestão de frituras.

Isto é o que os pesquisadores da Universidade Autônoma de Madri conseguiram estabelecer, depois de examinar os hábitos de além pessoas 40.757, com idades compreendidas entre os 29 e os 69 anos, num um longo período de 11 anos. Os pesquisadores registraram o número de vezes que os participantes comeram frituras e o número de mortes por problemas cardiovasculares registrados nos onze anos de acompanhamento, um total de 1.134, ou por doenças relacionadas a doenças cardíacas e arteriais, cerca de 606. casos. Ao cruzar os dois dados, eles puderam esclarecer que não houve associação entre os dois.

Segundo Pilar Guallar-Castillon, esses números mostram claramente que, mesmo em um país como a Espanha, onde se consomem diariamente grandes quantidades de frituras dentro e fora de casa, “não foi observada associação entre seu consumo e o risco de doença coronariana ou morte. Nosso estudo desfaz o mito de que a fritura geralmente está ligada a essas doenças”. Mas, segundo os pesquisadores, para salvar as artérias dos espanhóis, seria o matérias-primas da dieta mediterrânica, nomeadamente azeite e óleo de girassol: com gorduras sólidas como as gorduras animais ou reutilizadas, de facto, o risco seria muito maior.


Tendo estabelecido que a fritura em azeite ou óleo de girassol não envolve riscos para a saúde, é bom rever as poucas e simples regras para obter uma fritura caseira "saudável": é importante manter temperatura do óleo entre 160° e 180°C, não frite muitos alimentos juntos e certifique-se de “drená-los” bem em papel absorvente. Nunca, finalmente, reaproveite o óleo de fritura. E não esqueçamos de descartá-los adequadamente para não prejudicar também o meio ambiente.



Agora… vá em frente para os doces de carnaval!

Roberta Ragni

Adicione um comentário do Alimentos fritos fazem mal ao coração? Não, se você usar azeite ou óleo de girassol
Comentário enviado com sucesso! Vamos analisá-lo nas próximas horas.